Chávez acusa exilados da Flórida por atentado

O porta-voz do presidente da Venezuela, Hugo Chávez, acusou terroristas treinados na Flórida (EUA) pelo atentado que matou o promotor Danilo Anderson, que processava pessoas envolvidas no golpe de Estado de 2002 contra Chávez. Anderson foi morto em duas explosões que destruíram seu carro.O ministro da Informação, Andres Izarra, disse que a morte do promotor foi um ataque claro ao Poder Judiciário e teve como objetivo desorganizar as investigações sobre pessoas que apoiaram o golpe, que deixou 19 mortos e quase 300 feridos. Izarra culpou exilados venezuelanos que vivem na Flórida, reforçando alegações anteriores de Chávez, de que terroristas cubanos e venezuelanos treinam em território americano para matá-lo e usam a mídia para pedir sua derrubada."Queremos que o governo dos Estados Unidos explique como é que esses grupos terroristas, que agem com total liberdade na Flórida... Fazem essas declarações pela mídia, debaixo do nariz do governo". O porta-voz da embaixada americana, Brian Penn, disse que, até onde sabe, o governo da Venezuela não ofereceu nenhum dado concreto para apoiar suas acusações.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.