Chávez acusa militares da embaixada dos EUA em Caracas de espionagem

O presidente Hugo Chávez disse na segunda-feira que agentes de inteligência da Venezuela, infiltrados, descobriram que oficiais militares da embaixada dos EUA, em Caracas, estão desenvolvendo ações de espionagem."Os militares da embaixada dos Estados Unidos estão fazendo espionagem. Sabemos onde eles comem ´arepa´ (pão de milho), o edifício onde se reúnem e até a cor das cadeiras onde sentam para conversar. Mas acabou", disse Chávez.A suposta espionagem de militares da sede diplomática norte-americana na Venezuela foi denunciada na semana passada pelo vice-presidente José Vicente Rangel e chefes militares. Segundo eles, os militares norte-americanos tinham contatos com efetivos da marinha venezuelana, que estão sendo investigados. "O Estado venezuelano tem informações confidenciais, devidamente comprovadas, de que funcionários da missão militar norte-americana estão envolvidos com estes fatos", disse Rangel na sexta-feira passada. Chávez advertiu nesse dia que deterá os oficiais americanos que estejam espionando o país. No ano passado, Chávez aboliu um acordo de cooperação antidrogas com a Drugs Enforcement Agency (DEA), a poderosa agência norte-americana de combate ao narcotráfico, alegando que membros dessa organização espionavam a Venezuela. Washington e Caracas mantêm tensas relações. Chávez acusa os Estados Unidos de haver participado do golpe de Estado que o tirou do poder por 47 horas, em abril de 2002, e de continuar planejando atos de agressão. Por sua vez, Washington considera o mandatário venezuelano um agente desestabilizador da região.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.