Chávez admite que queda do petróleo afeta Venezuela

A Venezuela sofrerá se o preço do petróleo continuar caindo, disse na quarta-feira o presidente Hugo Chávez, numa rara admissão dos efeitos da crise global sobre a principal fonte de divisas do país. A Venezuela, um dos maiores fornecedores de petróleo dos EUA, costuma agir na Opep (cartel de países exportadores) em favor da elevação de preços. O petróleo representa metade do orçamento federal, gasto em grande parte em programas sociais. Chávez acumulou reservas durante o período de alta e organizou empréstimos de países como a China para blindar o seu governo socialista de uma queda prolongada. Mas economistas dizem que ele terá de cortar gastos se o preço do petróleo continuar caindo no ano que vem. Na quarta-feira, a cotação atingiu o menor valor em 20 meses. "O preço do petróleo tem caindo como resultado da crise global. Este é um fator que, caso se prolongue, poderia nos afetar. Certamente iria nos afetar", disse Chávez, cujos partidários enfrentam uma dura eleição regional neste mês. Inicialmente, Chávez comemorou o colapso financeiro nos EUA, mas recentemente, diante do seu alastramento pelo mundo, começou a alertar os venezuelanos sobre possíveis efeitos no país. (Reportagem de Saul Hudson)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.