Ariana Cubillos/AP
Ariana Cubillos/AP

Chávez alerta sobre nacionalização de TV oposicionista

Presidente exige que proprietário da Globovisión voltem ao país para prestar contas às autoridades

Agência Estado

17 de junho de 2010 | 13h47

CARACAS - O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, disse nesta quinta-feira, 17, que o governo pode estatizar parte da última rede de televisão que faz oposição a sua administração, a Globovisión, se seus proprietários não retornarem à Venezuela para se encontrar com as autoridades do país.

 

Uma ordem de prisão foi emitida na semana passada contra o principal dono da estação, Guillermo Zuloaga, e ele fugiu do país. Zuloaga disse nesta semana, a partir de um local não identificado, que não planeja se entregar às autoridades.

 

O segundo maior acionista da Globovisión, Nelson Mezerhane, está nos EUA e disse esta semana que não planeja retornar para a Venezuela. Mezerhane é presidente do Banco Federal, que foi confiscado pelo governo na segunda-feira por supostos problemas de liquidez, e autoridades do país disseram que Mezerhane e outros diretores do banco deveriam permanecer na Venezuela enquanto durasse o processo de intervenção de 60 dias.

 

Durante um pronunciamento na noite da quarta na televisão estatal, Chávez disse que se Mezerhane não retornar, como foi solicitado pelas autoridades reguladoras do sistema bancário, seu governo poderá assumir o controle das ações das empresas nas quais o banqueiro tem investimentos, incluindo a Globovisión.

 

Chávez disse que só descobriu esta semana que Mezerhane é um importante investidor da Globovisión. "Se é verdade que esse banqueiro que deixou o país e supostamente não vai voltar é um acionista da Globovisión, então o senhor Zuloaga vai ter de aparecer para que nós possamos decidir o que fazer com esse canal", disse Chávez.

 

As autoridades da Venezuela emitiram uma ordem de prisão para Zuloaga na sexta-feira, com acusações de que uma concessionária de carros que sua família possui estava armazenando carros clandestinamente. Zuloaga nega as acusações.

 

Conflito

 

A Globovisión aborda diariamente os problemas do país em seu canal de TV e no seu site, e critica o governo de Chávez. Isso incomoda o presidente, que na TV estatal diz aos seus simpatizantes que a economia não está tão ruim como parece e que a culpa da inflação é da "elite empresarial" que, segundo ele, está propositalmente elevando os preços para desestabilizar a economia, tendo em vista as eleições.

 

O presidente nega que a ordem de prisão contra Zuloaga e a estatização do banco de Mezerhane estejam relacionadas. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.