Chávez ameaça expulsar embaixador dos EUA na Venezuela

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, avisou ao embaixador dos Estados Unidos no país que ele pode ser convidado a deixar o território venezuelano, se continuar com as cobranças de indenizações a companhias e investidores norte-americanos afetados pela nacionalização de empresa de telefonia venezuelana."Se você continuar se intrometendo nos negócios da Venezuela acima de tudo, estará violando acordos de Genebra e, então, se envolvendo em sérias violações, o que pode fazer com que se transforme em ´persona non grata´ e tenha de deixar o país", afirmou Chávez, na quinta-feira, logo após o embaixados William Brownfield pedir a compensação a empresas e investidores norte-americanos afetados pela nacionalização.Em entrevista à rede de notícias Rádio União, o diplomata disse que a planejada estatização da Companhia Anônima Nacional de Telefonia da Venezuela (CANTV) deve ocorrer de "maneira transparente, legal e oferecendo compensação justa é rápida às pessoas e aos prejudicados".A CANTV é dirigida pela corporação internacional Verizon Communications Inc., que possui uma participação de 28,5%, Telecom Espanha, que tem 6,9% das ações, e o governo, que possui 6,6%. Trabalhadores mantêm outros 7,4% dos títulos das empresa.Chávez, que se declara um "revolucionário", disse que está caminhando a Venezuela rumo ao socialismo e que pretende nacionalizar, de forma imediata, a companhia telefônica, afirmando que não pagará os preços de cotação das ações no mercado.O líder venezuelano declarou, durante seu programa dominical, que pagaria "o quanto a lei disser e pela forma que o Estado decidir". Lembrou que a empresa possui dívidas com os trabalhadores e aposentados, além de "dívidas tecnológicas" com a Venezuela.Brownfield, no entanto, expressou na entrevista seu otimisto à respeito de uma compensação justa aos acionistas da CANTV."Eu imagino que pode ser um processo que chegue a uma conclusão satisfatória para todos, essa é minha esperança e a de todos os envolvidos", disse o embaixador.Chávez, amigo e aliado do líder cubano Fidel Castro, afirmou em sua posse no terceiro mandato como presidente, no início de janeiro, que pretende nacionalizar o setor elétrico e telefônico do país, além de tomar, com o controle estatal, quatro lucrativos projetos de extração de petróleo e gás no país.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.