Chávez ameaça fechar emissoras de TV

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, ameaçou, na noite deste domingo, em Porto Alegre, tomar uma medida drástica contra quem considera seus principais inimigos, os canais privados de televisão. "Eu digo ao mundo que não estranhem se, em breve, na Venezuela, começarmos a fechar emissoras de televisão", afirmou, diante de uma platéia de 800 pessoas que participavam do ato de solidariedade à Venezuela, no auditório da Assembléia Legislativa e de outras duas mil que ainda ouviam Chávez, às 21h30, do lado de fora, na Praça da Matriz. Chávez admitiu que não faltará quem saia condenando-o, se chegar a esse ponto, por atentar contra a liberdade de expressão. "Mas não há liberdade limitada", ressaltou. "A liberdade de um termina quando começa a liberdade do outro", afirmou, repetindo o ditado popular. O presidente da Venezuela acusou a televisão de estar propagando tantas mentiras, que até sua filha revelou medo de ir passar um dia em Caracas com ele. Ao longo do discurso, que durou mais de duas horas, Chávez foi interrompido diversas vezes por saudações e palmas de uma platéia cativa e entusiasmada, que se manifestava a cada citação de feitos de seu governo.Veja o especial sobre os Fóruns de Davos e Porto Alegre

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.