Chávez ameaça não enviar mais petróleo aos Estados Unidos

O presidente venezuelano e candidato à reeleição, Hugo Chávez, ameaçou não enviar "nem uma gota a mais de petróleo" aos Estados Unidos se este país tentar "desestabilizar" a Venezuela ou "não reconhecer os resultados eleitorais" de dezembro."Assim o digo: se o império e seus lacaios (venezuelanos) tentarem de novo um golpe de Estado ou um golpe petroleiro, ou desconhecerem os resultados eleitorais, não enviaremos nem uma gota de petróleo a mais para os Estados Unidos (...). Não haverá mais petróleo venezuelano para os Estados Unidos!", afirmou Chávez num ato de campanha.A Venezuela é o quinto exportador mundial de petróleo e o quarto maior fornecedor dos Estados Unidos, para onde envia 1,5 dos 3,2 milhões de barris de petróleo diários que produz, segundo dados oficiais.Chávez, que ameaçou várias vezes suspender o fornecimento de petróleo aos EUA, fez essas declarações diante de milhares de trabalhadores petroleiros reunidos na cidade de Puerto La Cruz, 320 quilômetros ao sul de Caracas.O governante disse que setores opositores "subordinados" a Washington pretendem aplicar um "plano B", baseado na violência e na desestabilização, após o fracasso da estratégia de "tentar enganar o mundo" dizendo que podiam ganhar as eleições presidenciais de dezembro."A triste realidade para eles (a oposição) é que fracassaram nessa estratégia, porque nem eles mesmos acreditam nessa grande mentira, até os institutos de pesquisa estrangeiros estão reconhecendo que a diferença que Chávez tem é de até 30 pontos de vantagem", afirmou o governante esquerdista.Segundo o chefe do Estado, diante do fracasso do suposto plano baseado em pesquisas "enganosas", à oposição só restaria a opção "de buscar a ativação do plano B, desconhecendo os resultados eleitorais, tentando um golpe de Estado ou sabotando alguma instalação petrolífera".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.