Chávez anuncia expropriação de fazenda de papeleira irlandesa

Presidente venezuelano afirmou que propriedades será usada para cultivo de alimentos.

Claudia Jardim, BBC

06 de março de 2009 | 02h42

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, anunciou nesta quinta-feira a expropriação de uma fazenda da companhia irlandesa Smurfit Kappa Group, uma das principais empresas produtoras de papel da Europa.Chávez disse que a fazenda "El Piñal", de 1,5 mil hectares, localizada no Estado de Lara (oeste do país) foi tomada na quarta-feira por autoridades do governo. A propriedade era destinada à plantação de eucalipto para a produção de papel.O líder venezuelano criticou o excessivo consumo de água que cada árvore de eucalipto necessita para ser mantida e disse que seu governo modificará o modelo de produção da propriedade."Vamos explorar de maneira racional essa madeira (eucalipto) e vamos plantar outras coisas ali (...) feijão, milho, mandioca", afirmou Chávez, em um ato oficial transmitido na noite desta quinta-feira em cadeia nacional de rádio e TV.O ministro de Obras Públicas e Habitação, Diosdado Cabello, afirmou que no terreno da Smurfit é plantado um tipo específico de madeira "que só traz benefícios aos proprietários da empresa".A Smurfit Kappa Group é a maior produtora de papelão da América Latina, atua em nove países da região e sua base de produção da matéria-prima está centralizada na Venezuela e Colômbia, segundo informações da empresa.Chávez, que em 2005 declarou guerra ao latifúndio e ordenou um avanço no processo de reforma agrária, anunciou também a expropriação da fazenda "El Maizal", de 2,2 mil hectares, também em Lara.Nessa área, considerada improdutiva pelo Instituto Nacional de Terras, houve um acordo com o proprietário e será paga a "indenização correspondente", afirmou Chávez, sem precisar a quantia que será desembolsada pelo Estado."Já não é propriedade privada e sim de todo o povo", disse o presidente, ao afirmar que o "êxito" da revolução depende também da "necessidade de modificar a estrutura da propriedade da terra".O governo venezuelano, que enfrenta uma crise com o setor agroindustrial privado, aposta na expansão das terras cultiváveis pelo Estado para incrementar a produção de alimentos no país, atualmente dependente em 70% de importações.Leia também na BBC Brasil: Exército ocupa fábrica da americana Cargill na VenezuelaBBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.