Chávez anuncia nova lei antiterror e reformula governo

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, ordenou a preparação de uma nova lei antiterror, três dias depois do assassinato de um dos principais promotores públicos do país, Danilo Anderson. Seis pessoas foram presas e interrogadas, mas a agência estatal Venpress informou que não há um claro suspeito. Anderson integrava a equipe encarregada de ações judiciais contra pessoas que tomaram parte, em 2002, de um fracassado golpe de Estado contra Chávez. Os extremistas colocaram explosivos de origem militar sob o assento de seu carro e os detonaram por controle remoto. "Quero os assassinos de Danilo Anderson na prisão, a qualquer custo, seguindo os parâmetros da Constituição", disse Chávez. O presidente venezuelano, que está na Espanha em visita oficial, também anunciou um remanejamento no governo. O diretor da estatal do petróleo, a Pedevesa, Ali Rodriguez, foi nomeado chanceler, em substituição a Jesus Pérez, que deixou o posto alegando problemas de saúde. O ministro do Petróleo, Rafael Ramírez, acumulará o cargo de diretor da Pedevesa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.