Chávez chama García de "cachorrinho de estimação" de Bush

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, chamou nesta sexta-feira o presidente eleito do Peru, Alan García, de"cachorrinho de estimação" do líder americano, George W. Bush e pôs em dúvida sua vitória nas eleições peruanas."Eu acho que Ollanta Humala venceu as eleições no Peru", disse Chávez durante visita ao Panamá. Ele reafirmou que "não há esperança de melhora nas relações" entre Caracas e Lima e indicou que seu Governo estuda se as mantêm no nível atual ou se as rompe "definitivamente".O líder venezuelano argumentou que, embora García tenha obtido 600 mil votos a mais, foram registrados 1,2 milhão de sufrágios nulos e que foram destruídos, razão pela qual "não houve nenhuma forma de alguém tentar ver a quem correspondiam". Por isso, "eu digo que (García) é um presidente duvidoso", completou.Ao mesmo tempo, Chávez reconheceu que a destruição de votos está prevista pela legislação eleitoral peruana e que isso é preciso ser "respeitado".Críticas Durante uma entrevista coletiva com a qual concluiu uma visita de dois dias ao Panamá, o presidente venezuelano leu trechos de declarações que García fez na quinta-feira contra ele no Chile.García criticou a política "intervencionista" de Chávez e disse que "sua vontade de expandir seu modelo populista e de estatismo petrolífero não funciona no resto dos países da região".O presidente eleito do Peru também disse esperar que "a presença predominante, permanente e até intoxicante de Chávez na Bolívia não gere problemas entre Brasil e Argentina e nem entre Bolívia e Chile".Chávez rebateu que, quando García "fala assim, não é ele quem fala, e sim Bush, esse é seu dono", e acrescentou que o presidente eleito do Peru "é um instrumento do imperialismo, mas seu dono está em Washington, (García) é um cachorro de estimação".O presidente eleito do Peru "está criticando o Governo soberano da Bolívia pela relação que tem conosco (Venezuela); o Brasil também e a Argentina também", mas "ele vai terminar dando de cara com a realidade".O líder venezuelano declarou que García que não lhe causará problemas com seus colegas do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva; da Argentina, Néstor Kirchner, e do Chile, Michelle Bachelet.O presidente da Venezuela acrescentou ainda que García está equivocado "se acredita que vai provocar uma briga entre Lula e Chávez, ou entre Kirchner e Chávez, que é o que quer Bush. As tensões e o bate-boca entre García e Chávez surgiram quando este apoiou a candidatura de Ollanta Humala à presidência do Peru, e o caso acabou provocando uma crise bilateral e a retirada mútua de embaixadores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.