Jornal Granma/Efe
Jornal Granma/Efe

Chávez chega a Cuba para realizar nova cirurgia

Presidente venezuelano designou seu vice, Nicolás Maduro, como possível sucessor

AE, Agência Estado

10 de dezembro de 2012 | 16h37

CARACAS - O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, viajou nesta segunda-feira, 10, a Cuba, onde será submetido a uma nova cirurgia contra um câncer. Chávez admitiu que o procedimento tem de ser feito com urgência na tentativa de combater a doença.

Será a quarta cirurgia do presidente venezuelano contra o câncer em um ano e meio. Chávez não entregou, mas "delegou" o poder ao vice-presidente eleito Nicolás Maduro. Eleito em outubro para um quarto mandato presidencial, entre 2013 e 2019, o presidente pode não assumir o cargo, então novas eleições seriam convocadas.

O bolivariano deixou Caracas durante a madrugada e chegou a Havana de manhã, onde foi recebido no aeroporto pelo presidente cubano Raúl Castro. Durante um debate que ocorreu no domingo na Assembleia Nacional, alguns deputados da oposição exigiram que a ausência temporária do presidente fosse declarada e que o poder fosse transferido ao vice-presidente. Essa possibilidade, contudo, foi descartada.

A Constituição venezuelana prevê que quando ocorre uma "ausência absoluta" do presidente eleito, antes da posse (marcada para março de 2013), "ocorrerá uma nova eleição nos trinta dias consecutivos seguintes". No período de eleição e passagem do poder para o novo presidente, "o presidente da Assembleia Nacional" é o encarregado do poder executivo.

A partida de Chávez, no meio da madrugada, foi anunciada por uma mensagem postada no Twitter pelo ministro de Comunicação Ernesto Villegas, que disse que o avião com o líder venezuelano havia decolado do aeroporto de Maiquetía com direção a Havana.

"Eu acabei de dar um abraço no comandante Chávez em Maiquetía e disse a ele ''vá e volte''. Ele respondeu, ''claro que voltarei''", twitou, por sua vez, o ex-vice-presidente Elias Jaua.

Chávez mais uma vez manteve mistério sobre o tipo de câncer que sofre e quando ocorrerá a cirurgia. Mas desta vez havia um tom mais ameaçador na voz de Chávez, que pela primeira vez falou sobre a possibilidade de sucessão, nomeando o ministro de Relações Exteriores e vice-presidente Nicolás Maduro como seu herdeiro político favorito.

O presidente do Equador, Rafael Correa, escreveu no Twitter nesta manhã que visitaria Chávez em Havana. "Bom dia para todos. Parto a Havana para visitar o presidente Chávez, toda a Pátria Grande está com ele", escreveu o equatoriano.

Chávez falou sobre sua cirurgia na noite de sábado, pouco após ter retornado de um período de dez dias de tratamento em Cuba. O anúncio chocou a população, que se acostumou a vê-lo como um homem infatigável e loquaz.

Chávez, de 58 anos, disse que estava livre do câncer após ser diagnosticado e tratado da doença no ano passado. Mas no sábado ele anunciou que "células malignas" haviam retornado e ele precisa de mais uma intervenção cirúrgica.

Com informações da AP e da Dow Jones

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.