Chávez concede entrevista agachado em Brasília

O presidente da Venezuela, HugoChávez, deu hoje uma entrevista de cócoras, em Brasília, aodeixar a residência oficial do Torto, sem conseguir o que queriaem relação ao Grupo de Amigos para a Venezuela. Sem perder obom-humor e ao se deparar com jornalistas agachados parapermitir que fotógrafos e cinegrafistas registrassem as imagensda saída dele, Chávez fez o mesmo: agachou ao lado do portão deacesso à residência oficial de Lula. Por alguns segundos, surpreendidos com o gesto inusitado, os jornalistas ficaram sem saber o que fazer, em meio a risos.Para não ferir o curioso protocolo encampado por ele, todospermaneceram abaixados, conversando com Chávez. A estranha cenafoi presenciada pelos poucos turistas que estavam em frente àresidência oficial do Torto. As brincadeiras e gestos informais do presidente daVenezuela não pararam por aí. Antes da entrevista, Chávezcumprimentou os batedores das Forças Armadas e, aparentandocalma, mesmo depois de uma longa reunião com o presidente doBrasil, arrancou de um dos eucaliptos da entrada residênciaoficial um longo pedaço da casca. O presidente venezuelanocomentou: "Isso é medicinal", entregando a lasca a um dosfuncionários. "Vou levar para minha mulher para que ela faça umguarapo (tipo de chá com propriedades medicinais)",acrescentou. Em seguida, durante a conversa com os repórteres, ao seralertado por um diplomata que os carros da comitiva delebloqueavam a iminente saída de Lula, Chávez não perdeu a pose."Mas não dá para tirar os carros (da comitiva)?", perguntou,retomando a descontraída entrevista, que durou mais algunsminutos. Ao todo, o presidente venezuelano ficou 20 minutos coma imprensa. Os automóveis não foram retirados e o presidentebrasileiro também teve de esperar um pouco mais para sair daresidência em direção ao Palácio do Alvorada. Assim como Lula, sem o habitual terno e gravata, Chávezvestia uma roupa informal, calça de veludo e jaqueta escuros.Durante uma conversa de quase três horas, os dois chefes deEstado, envolvidos numa delicada discussão, também ficaram semalmoçar. Foram oferecidos somente pão de queijo, água e suco. Oprometido café da manhã, previsto para quando Chávez chegasse,por volta das 8 horas, foi cancelado e também não foi servido almoço ao presidente venezuelano, que foi embora por volta das 13h30.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.