Chávez cortará luz de 80 empresas que não racionaram energia

O governo venezuelano anunciou que cortará o fornecimento de eletricidade para aproximadamente 80 empresas que não cumpriram a metas de redução de 20% do consumo de energia. O patamar foi estipulado depois que uma crise, provocada por uma mescla de mal planejamento e fatores climáticos adversos, reduziu a oferta de eletricidade na Venezuela em 70%. Entre as empresas punidas está a filial da marca japonesa Sony, além de dezenas de restaurantes, hotéis, academias de ginástica e revendedoras de automóveis. Segundo o governo de Caracas, a situação deve melhorar nas próximas semanas, com a chegada das chuvas de outono, que evitariam o colapso total do sistema de energia. A oposição venezuelana planeja usar a crise energética e a incompetência demonstrada até agora pelo Estado para enfrentá-la como um trunfo para derrotar os candidatos ligados ao presidente venezuelano, Hugo Chávez, nas eleições legislativas marcadas para setembro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.