Chávez critica chefe do Exército boliviano

Líder venezuelano acusa comandante de não obedecer às ordens de Evo

AP e AFP, Caracas, O Estadao de S.Paulo

15 de setembro de 2008 | 00h00

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, acusou ontem o comandante das Forças Armadas da Bolívia, Luis Trigo, de desobedecer às ordens do presidente Evo Morales. "Em vez de cumprir o decreto presidencial sobre o estado de sítio, ordenou que as tropas se aquartelassem e abandonassem o aeroporto (de Pando)", disse Chávez em referência ao Estado onde choques entre governistas e opositores já mataram mais de 30 pessoas. "Felizmente, general Trigo, soldados de outras hierarquias, fiéis ao governo, estão cumprindo as ordens do presidente Evo."Na sexta-feira, Trigo havia rejeitado qualquer "intromissão estrangeira" e dito que "não permitiria que nenhum militar de outro país pisasse em território boliviano." A declaração do militar foi uma resposta a Chávez, que já havia oferecido ajuda armada caso o governo de Evo fosse ameaçado. Chávez reiterou ontem a disposição em enviar ajuda ao país vizinho: "Andam dizendo que estou ameaçando invadir a Bolívia. Não é isso. Mas se algo acontecer a Evo, não vou ficar de braços cruzados."O ministro da Defesa da Bolívia, Wálker Sán Miguel, disse ontem que seu país não precisa de intervenção externa. "Resolveremos nossos problemas. Precisamos agora fortalecer a unidade, a coesão. O povo não quer (intervenção externa)", disse Sán Miguel, em entrevista transmitida pela emissora estatal TVB. Com relação a Luis Trigo, o ministro destacou que o comandante das Forças Armadas tem sido muito enfático quando diz conhecer sua posição, no sentido de que sabe lidar com a situação do país. "As Forças armadas estão conduzindo tudo com prudência e cautela, protegendo o povo e as instalações petrolíferas", declarou Sán Miguel.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.