Chávez decidiu deixar comissão

Em 24 de julho, o presidente venezuelano, Hugo Chávez, pediu ao então chanceler de seu país, Nicolás Maduro, que retirasse a Venezuela da Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH), instância jurídica do sistema interamericano de proteção dos direitos humanos, que atua no âmbito da Organização dos Estados Americanos (OEA). A decisão foi tomada após Chávez rejeitar o relatório do tribunal sobre atentados ocorridos em 2003 contra sedes diplomáticas em Caracas, no qual a Venezuela é acusada de violar os direitos humanos de Raúl Díaz Peña, que seria responsável pelos ataques. O secretário-geral da OEA, José Miguel Insulza, lamentou a decisão da Venezuela. A saída definitiva da Venezuela deverá se efetivar em setembro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.