Chávez decreta Lei Seca na Semana Santa

O governo do presidente Hugo Chávez proibiu a venda de álcool durante o feriado da Semana Santa com o intuito de reduzir o número de mortes nas estradas do país.Desde a última segunda-feira, 2, os bares das cidades venezuelanas estão proibidos de vender qualquer tipo de bebida alcoólica até a próxima segunda, 9.Contudo, não é nem um pouco complicado conseguir uma dose, embora os donos de bares estejam mais atentos nos últimos dias. "Via a lei seca!", exclama um garçom enquanto serve doses de coca-cola misturadas com rum em um bar de Caracas, a capital do país.Em outro bar, as taças para vinho dão lugar às xícaras. Nos restaurantes, as garrafas de cerveja e de uísque são cuidadosamente camufladas ou retiradas das mesas quando a polícia resolve fiscalizar."É muito ridícula essa lei. É como tentar implementar o islamismo na Venezuela", diz Jorge Dominguez, de 36 anos, ao sair de um boteco com uma mala cheia de garrafas de cerveja.A Lei Seca é usada na Venezuela em momentos especiais, como as eleições, mas não é aplicada nas festividades, quando centenas de venezuelanos viajam Às praias caribenhas e lotam os bares.A Venezuela é um dos maiores consumidores de bebidas alcoólicas do mundo e ocupa a sétima posição dentre os importadores de uísque escocês em 2006, segundo a Associação de Whisky Escocês.Em um almoço de negócios, não é raro que os participantes peçam uma dose de Johnnie Walker enquanto esperam a refeição.O presidente Hugo Chávez criticou por diversas vezes o consumo de álcool com um mal importado dos Estados Unidos.O ministro do Interior, Pedro Carrelno, defendeu que a proibição temporário tem a intenção de salvar vidas, ao contrário de muitos que acham que se trata de uma afronta ao livre comércio."É necessário conscientizar a população de que os altos números de feridos e mortos em altas temporadas se deve aos acidentes de trânsito, os quais são causado por condutores em estado de embriaguez", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.