Chávez denuncia Paraguai sobre Mercosul

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, acusou hoje um grupo senadores paraguaios de terem pedido propina para aprovar a entrada da Venezuela no Mercosul.

AE, Agência Estado

05 de julho de 2012 | 18h07

"Um grupo desses senadores do Paraguai, desses que deram o golpe, estavam nos pedindo dinheiro (...) para permitir nossa entrada no Mercosul", denunciou o líder venezuelano em discurso na Assembleia Nacional transmitido em rede de rádio e televisão.

Chávez afirmou que seu governo recusou-se a pagar o suborno e qualificou os senadores paraguaios como "verdadeiros mafiosos". Ainda segundo ele, diplomatas brasileiros e argentinos foram testemunhas de tentativas de extorsão sofridas pela Venezuela.

Antes de ser suspenso, o Paraguai era o único membro pleno do Mercosul que ainda não havia aprovado a entrada da Venezuela no bloco. Após a suspensão do Paraguai, os governos de Brasil, Argentina e Uruguai informaram que a Venezuela seria formalmente integrada ao Mercosul no fim de julho.

No pronunciamento de hoje, Chávez anunciou a retirada dos adidos militares da Embaixada da Venezuela em Assunção e denunciou ainda que funcionários da missão diplomática de seu país receberam ameaças de morte.

Chávez aproveitou o discurso para defender seu ministro de Relações Exteriores, Nicolás Maduro, acusado pelo Paraguai de tentar interferir em "assuntos internos".

O presidente venezuelano negou que seu chanceler tenha buscado incitar o alto mando militar paraguaio a reverter a deposição de Fernando Lugo pelo Congresso e afirmou que a acusação foi feita "fora de contexto", uma vez que Maduro reuniu-se com generais paraguaios acompanhado de seus homólogos da União de Nações Sul-Americanas (Unasul) "em cumprimento de uma missão" do bloco. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
MercosulParaguaiChávezdenúncia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.