Chávez denuncia suposto plano dos EUA contra ele

O presidente venezuelano, Hugo Chávez, disse neste sábado que chegaram comentários sobre a possibilidade de que o governo dos Estados Unidos pretende lhe matar.´O diabo está muito nervoso e alguns dizem que agora foi dada a ordem para que me matem´, disse Chávez durante um ato celebrado no estado de Monagas, no noroeste do país, durante o ´Encontro Nacional de Redes de Inovação Produtiva´.´Saberei me cuidar, meu Senhor cuidará de mim e vocês cuidarão de mim também. Aqui vamos viver para que nossos filhos tenham uma pátria verdadeira´, acrescentou Chávez. Segundo Chávez, os supostos planos para lhe matar haviam sido armados depois de seu discurso, no dia 20 de setembro, na Assembléia Geral da ONU, onde chamou o presidente George W. Bush de ´diabo´.´Muitos amigos meus me ligaram preocupados porque eu disse ´diabo´ e porque eu estaria condenado a morte. Não vão me matar porque tenho muita fé na vida´, disse. O presidente também assinalou que teve de ´lavar com água benta´ o livro do norte-americano Noam Chomsky, cuja leitura recomendou durante seu discurso. Ele explicou que decidiu limpar o livro porque se deu conta que havia colocado o livro ´no mesmo lugar que o diabo colocou seus papéis.´

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.