Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Chavez determina investigação urgente sobre explosão em refinaria

Número de mortos em acidente sobre de 24 paras 26, segundo autoridades venezuelanas.

BBC Brasil, BBC

25 de agosto de 2012 | 22h06

O presidente venezuelano Hugo Chavez ordenou a realização de "investigações urgentes" para descobrir a causa de uma grande explosão no maior complexo de refinarias do país, Paraguaná.

O número de mortos no acidente subiu de 24 para 26, segundo especialistas venezuelanos. Ao menos 80 pessoas ficaram feridas.

Chavez declarou luto oficial de três dias.

A explosão conteceu em uma zona de tanques de gás na refinaria de Amuray, a maior das três que formam o complexo, capaz de processar cerca de 645 mil barris de petróleo por dia.

Vazamento de gás

O ministro de Energia e Petróleo da Venezuela, Rafael Ramírez, culpou um "vazamento de gás" pelo incidente, que aconteceu na madrugada deste sábado.

"O acúmulo de gás criou uma nuvem que explodiu e provocou incêndios em pelo menos dois tanques da refinaria e nas áreas ao redor", disse Ramírez à televisão estatal.

"A explosão foi de grande magnitude, por isso há danos notáveis na infraestrutura e em residências que estavam em frente à refinaria."

Horas antes, no Twitter, o vice-presidente do país, Elías Jaua, disse que "em Amuay, os danos são sérios" e anunciou que o governo estava enviando ambulâncias e equipes das Forças Armadas ao local.

'Falta de investimento'

Na Venezuela, o país com as maiores reservas de petróleo mapeadas do mundo, a manutenção das refinarias é uma fonte recorrente de polêmica entre funcionários do governo e especialistas da oposição, segundo o correspondente da BBC Mundo, serviço em espanhol da BBC, na Venezuela, Abraham Zamorano.

Ex-diretores da empresa estatal Petróleos de Venezuela (PVDSA), afirmam que a empresa não investe o suficiente na manutenção das instalações.

De acordo com Zamorano, eles discordam da atuação do presidente Hugo Chávez, que destina boa parte dos recursos da petrolífera para políticas sociais.

A polêmica mais recente envolvendo o assunto aconteceu após a notícia de que o país precisaria importar gasolina dos Estados Unidos para atender sua demanda interna, o que os especialistas também atribuem à falta de investimento nas refinarias nacionais. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.