Chávez diz que deixará Venezuela invulnerável a ataques

O presidente venezuelano, Hugo Chávez, disse nesta sexta-feira, 27, que seu governo planeja desenvolver um avançado sistema de defesa antiaérea e comprar novos armamentos, o que fará da Venezuela um país "impermeável" para ataques. O líder esquerdista, que em diversas ocasiões acusou os Estados Unidos de planejar invadir a Venezuela, disse que o país realizou testes com mísseis na quinta-feira, 26. Chávez não especificou, entretanto, que tipo de projétil foi utilizado."Nós teremos um sistema de defesa antiaérea vigoroso, com mísseis capazes de alcançar 200 quilômetros", disse o presidente em um discurso televisionado. "Isso fará da Venezuela uma nação verdadeiramente invulnerável a qualquer ameaça externa, a qualquer plano de agressão."Chávez negou que a Venezuela esteja engajada em uma corrida armamentista ou represente uma ameaça à estabilidade regional, como já sugeriu Washington. Segundo o presidente, o país está apenas modernizando suas Forças Armadas após anos de negligência. "São investimentos necessários. Não iremos atacar a ninguém", disse ele em discurso em uma academia militar de Caracas. Chávez também anunciou que pretende investir mais de US$ 561 milhões na construção de fábricas que produzirão rifles AK-103, munição e detonadores, além de criar um centro para o treinamento dos pilotos.Outra novidade anunciada pelo presidente foi a aprovação de verbas para a construção de bases para o lançamento do satélite venezuelano "Simon Bolívar", cuja conclusão está prevista para agosto de 2008.Chávez já havia falado sobre alguns dos planos em outras ocasiões, mas dando poucos detalhes. No final de um tour mundial em agosto passado, o presidente mencionou que planejava instalar um sistema de defesa antiaérea capaz de derrubar aviões inimigos, e que poderia ser produzido pela Rússia, Bielo Rússia ou Irã. Ele não especificou nesta sexta-feira se a Venezuela planeja comprar ou desenvolver seu próprio sistema de mísseis.A Venezuela assinou um acordo com a Rússia no ano passado para a compra de 24 caças Sukhoi e 53 helicópteros. Meses antes, Chávez havia fechado acordos para adquirir 100 mil rifles AK-103 e outros armamentos. As compras foram estimadas em um total de US$ 2,7 bilhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.