Chávez diz que Fidel batalha pela vida

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, disse na sexta-feira, 19, que o líder cubano, Fidel Castro, "está batalhando pela vida". Chávez afirmou, em cerimônia na qual foi condecorado no Rio de Janeiro, que "Fidel Castro é um desses homens que nunca morrerá, como Che Guevara, nunca morrerá". "Não posso dar detalhes, porque não sou médico. Não sei quando Fidel morrerá, tomara que viva mais 80 anos", completou ele em discurso ao receber a medalha Tiradentes, maior honraria do Rio de Janeiro, na Assembléia Legislativa do Estado. "Fidel está de volta à Sierra Maestra, está lutando por sua vida", completou o presidente venezuelano, amigo e admirador de Fidel Castro, ao lembrar a época em que o líder da ilha caribenha liderou a revolução cubana, no fim da década de 1950. "Ele está atravessando uma situação nada fácil, mas como ele disse, a máquina que precisa ser reparada tem 80 anos", declarou Chávez, indicando que falou por telefone com Fidel durante meia hora, há alguns dias. Fidel entregou o poder a seu irmão Raúl há mais de seis meses, após passar por uma cirurgia intestinal para tratar de uma doença não revelada. Chávez lembrou que, quando fez seu programa radiofônico Alô Presidente em Cuba, ao lado de Fidel, o presidente cubano "disse algo que para mim teve, tem e terá um significado muito grande: ´Chávez, a história nos absolverá´." O presidente venezuelano explicou que Fidel então "repetiu uma frase que ele disse quando eu nem mesmo era nascido". Chávez disse que respondeu ao líder cubano: "Não posso aceitar essa frase. Depois de cinqüenta anos de luta, você já foi absolvido pela história, eu não". O presidente venezuelano terminou seu discurso de mais de duas horas gritando: "até a vitória. Pátria, socialismo ou morte", numa repetição da frase que pronunciou neste mês ao prestar juramento para seu terceiro mandato como presidente. O líder cubano não é visto em público desde o dia 26 de julho do ano passado, cinco dias antes de transferir temporariamente o poder a Raúl.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.