Chávez diz que Fidel Castro não tem câncer

O presidente venezuelano, Hugo Chávez, negou na última sexta-feira informações de que o líder Fidel Castro esteja com câncer, mas disse que o presidente da ilha está travando "uma grande batalha" contra uma doença "grave". Chávez diz ter falado duas vezes com Fidel por telefone na última quinta-feira em meio a intensas especulações sobre o estado de saúde do presidente cubano, após ele passar por uma cirurgia em julho."Surgiram alguns comentários, de que Fidel tem câncer terminal. Fidel não tem câncer", disse Chávez a simpatizantes durante evento para comemorar sua recente reeleição. "Sabemos que você está travando uma grande batalha", acrescentou numa alusão ao líder cubano. Chávez não disse que a saúde de Fidel está melhorando, como ele havia repetido em vários discursos anteriores, mas afirmou estar otimista e que Castro lhe pareceu bem na conversa que os dois tiveram.Uma breve nota publicada no jornal oficial Granma informou, neste sábado, que Fidel Castro teria telefonado para membros do Parlamento cubano reunidos na última sexta-feira em Havana. Esse é o primeiro sinal oficial sobre o líder cubano em 11 dias. O comunicado, no entanto, não ofereceu nenhum detalhe sobre a saúde do líder cubano, que, em 31 de julho, transferiu o poder a seu irmão Raúl Castro, devido a uma enfermidade não-revelada.Chávez disse também na semana passada que Fidel não havia lhe telefonado para parabenizar-lhe pela reeleição, enviando, em vez disso, uma carta datilografada no lugar de suas costumeiras cartas manuscritas. Aliado próximo de Fidel, Chávez tem ajudado a amenizar o embargo norte-americano a Cuba ao vender petróleo a um baixo custo para a ilha.O chefe de inteligência dos Estados Unidos, John Negroponte, disse em uma entrevista à edição da última sexta-feira do Washington Post que Fidel está próximo da morte e que tem "meses, não anos" para viver. Fidel não tem aparecido em público, ficando ausente inclusive das comemorações pelo seu aniversário de 80 anos. Ele apareceu caminhando com dificuldade em um vídeo divulgado em outubro.Antes de sua cirurgia, Fidel controlou o regime comunista de Cuba desde 1959, apesar de um embargo norte-americano em vigor desde 1962. Ele não participou das comemorações de seu aniversário. Sua doença não foi revelada e ele não é visto em público desde 28 de outubro, data em que apareceu em um vídeo para desmentir rumores sobre sua morte. O ditador delegou provisoriamente o poder a seu irmão Raúl e a seis homens de sua confiança em 31 de julho, devido a uma doença, tratada de "segredo de Estado".este texto foi alterado às 11h46 para acréscimo de informação

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.