AP
AP

Chávez diz que inicia ''batalha pela vida''

Para especialista, escolha de Cuba para tratar câncer indica fé inabalável do presidente nos Castros

, O Estado de S.Paulo

18 de julho de 2011 | 00h00

HAVANA

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, disse ontem pelo Twitter que desde sua "trincheira, estava iniciando uma batalha pela vida". Ele chegou na noite de sábado a Cuba para iniciar a segunda fase de seu tratamento contra um câncer, que inclui sessões de quimioterapia, e foi recebido pelo presidente Raúl Castro.

Antes de embarcar, o líder bolivariano disse que não há mais células cancerígenas no seu corpo e agora é o tempo de viver, não de morrer. "Estarei de volta mais cedo do que muitos desejariam", afirmou.

Ontem ele se dedicou a temas esportivos. Pelo Twitter, disse ter assistido à abertura dos Jogos da Alternativa Bolivariana pelas Américas (Alba), que terá a participação de 23 países, e às quartas de final da Copa América, entre Venezuela e Chile.

Confiança. A decisão de trocar o tratamento no Hospital Sírio-Libanês, oferecido pelo governo brasileiro, por Cuba realça a fé inabalável que ele deposita no líder cubano Fidel Castro, mesmo numa possível luta pela sua vida e pelo legado de seus 12 anos de governo.

"Para Chávez, confiança, lealdade política e controle ultrapassam todas as outras considerações", disse ao New York Times Michael Shiffer, presidente do Diálogo Interamericano, grupo de estudos com sede em Washington.

"Fidel Castro é uma das poucas pessoas em que Chávez tem fé e confiança absolutas. Ele coloca sua saúde nas mãos de Fidel, mesmo que possa receber tratamento melhor em outro lugar".

Na semana passada, a presidente Dilma Rousseff convidou-o a vir ao Brasil para se tratar com a mesma equipe médica que curou o linfoma cancerígeno que ela teve. Como alternativa, a presidente também se prontificou a enviar dois dos melhores especialistas brasileiros a Caracas para auxiliarem os médicos de Chávez. Mas, em vez disso, ele decidiu ir para Cuba.

Discrição. Para analistas, além da confiança nos Castros, Chávez, de 56 anos, também confia que pode contar com a discrição das autoridades cubanas no sentido de uma divulgação limitada de informações sobre sua doença e seus prognósticos.

Detalhes sobre as condições de saúde de Chávez não foram informados depois que ele voltou de Cuba, onde se submeteu a duas cirurgias. De início, membros do alto escalão do seu partido desmentiram as notícias de que ele estaria com câncer. Oficialmente, o governo alegou que Chávez se submetera a uma cirurgia de emergência em Havana por causa de um abscesso pélvico.

Posteriormente, o próprio Chávez confirmou a cirurgia em comunicado em vídeo, mas disse que os médicos em Havana também haviam detectado células cancerígenas, o que exigiu uma segunda operação em 20 de junho para remoção de um tumor, segundo ele, do tamanho de uma bola de beisebol. Não foi revelada a exata localização ou o tipo do câncer. / NYT e AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.