Chávez diz que relatório americano sobre drogas é falso

O presidente Hugo Chávez rechaçou hoje um relatório do Congresso dos Estados Unidos que adverte sobre uma forte expansão do narcotráfico na Venezuela e disse que o informe é uma "astúcia do império". "É uma falsidade, uma nova mentira do governo e do Congresso dos EUA", afirmou. "Os Estados Unidos, o império, usa estas astúcias para satanizar governos como o de Evo (Morales), Chávez, (Daniel) Ortega, os governos dos quais eles não gostam. É uma velha arma imperial", disse Chávez. Ele deu as declarações após se reunir com seu colega boliviano Evo Morales, pouco antes de regressar a Caracas.

AE-AP, Agencia Estado

17 de julho de 2009 | 18h09

O jornal espanhol "El País" publicou ontem que o relatório do Congresso americano descreveria o nascimento de um "narcoestado" na Venezuela. Ele implicaria, além disto, funcionários civis e militares graduados do governo venezuelano no narcotráfico. O relatório, informou o "El País", será publicado pelo Congresso americano no final deste mês.

Chávez afirmou que desde quando ordenou a saída da Venezuela da agência norte-americana antidrogas (DEA, na sigla em inglês), seu governo moveu violentos golpes contra o narcotráfico, com a captura de nove poderosos barões da droga. "Na Venezuela nós golpeamos o narcotráfico, aos narcos e aos seus capitais depois que a DEA foi embora. A DEA estava minada por narcotraficantes e conspiradores", acusou. Segundo Chávez os EUA são o maior país narcotraficante do mundo. "Lá estão os grandes cartéis do narcotráfico, o dinheiro e o consumo."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.