Chávez diz que revisará relações com a Colômbia

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, levantou objeções à decisão da Colômbia de deixar os Estados Unidos ampliarem a presença militar em solo colombiano. Chávez disse na noite de ontem que o plano da Colômbia de acomodar mais tropas norte-americanas em suas bases aéreas e navais "nos obriga a revisar nossas relações" com o governo de Bogotá, aliado dos EUA. "Eles estão abrindo as portas àqueles que constantemente nos atacam" disse Chávez, de acordo com um comunicado divulgado pela Agência Bolivariana de Notícias da Venezuela.

AE-AP, Agencia Estado

21 de julho de 2009 | 17h34

Uma quinta rodada de negociações sobre a cooperação militar entre os EUA e a Colômbia deverá acontecer nas próximas semanas. Chávez frequentemente acusa os EUA de conspirarem para derrubá-lo. Suas relações com Washington permanecem estremecidas, mesmo após a administração do presidente americano Barack Obama ter restabelecido embaixadores e buscado mais diálogo.

Ontem, o presidente da Colômbia, Alvaro Uribe, disse que seu governo procura um acordo com os EUA. Segundo funcionários militares da Colômbia, os EUA poderão usar três aeroportos militares e duas bases navais na Colômbia. "O acordo é para fortalecer bases militares colombianas, não para abrir a Colômbia a bases americanas", disse Uribe em discurso no Congresso da Colômbia.

Tudo o que sabemos sobre:
VenezuelaHugo ChávezColômbia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.