Chávez diz que sua vitória ´é outra derrota´ para Bush

O presidente Hugo Chávez afirmou no domingo que sua nova vitória eleitoral na Venezuela demonstra o auge da esquerda e do sentimento anti-americano na América latina, e afirmou que sua reeleição "é outra derrota" para o presidente George W. Bush. "Esta é outra derrota para o império de Mister Danger, é outra derrota para o diabo que pretende dominar o mundo", disse Chávez se referindo ao presidente dos EUA, a quem já havia qualificado assim durante ser discurso na ONU."A Venezuela conseguiu sua independência, a Venezuela é livre, nunca mais será colônia", acrescentou, da varanda do palácio do governo, sob uma chuva torrencial. O governo americano diversas vezes qualificou Chavez com uma força desestabilizadora na América Latina, e questiona seu compromisso com a democracia. Chávez, na sua primeira aparição pública após ser virtualmente declarado ganhador das eleições de três de dezembro, convidou "os venezuelanos com idéias diferentes, que nos dediquemos a construir o socialismo, que ninguém tenha medo do socialismo". Con 78,31% dos votos apurados, Chávez contava com 61.35%, ou 5.9 milhões de votos, e seu adversário, o governador do estado petroleiro de Zulia, Manuel Rosales, com 39.39%, ou 3.7 milhões de jovens. A participação foi de 62%, o que torna a vantagem de Chávez irreversível.Chávez foi eleito para governar durante mais seis anos, Após ganhar sua primeira eleição, em 2998, introduziu a reeleição imediata ao reformar a carta magna. Em 2004 também se saiu vitorioso em um referendo revogatório. "Aos povos da América Latina, ratifico em nome do povo da revolução, nosso compromisso pela verdadeira integração dos nossos povos, unidade para ser livre, unidade para ser grande." Chávez também dedicou sua vitória "ao povo cubano e ao presidente Fidel Castro, camarada, tão maltratado pela oligarquia venezuelana, tão maltratado pelos órgão internacionais." O presidente da Venezuela comentou ainda que recebeu as saudações do "presidente argentino Néstor Kirchner", e do presidente eleito do Equador, "o companheiro socialista Rafael Correa[...]e mensagens de felicitação continuaram a chegar, e não são para mim, são para toda a Venezuela."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.