Chávez diz que vai 'nocautear' a oposição nas eleições de domingo

Presidente se mostra otimista pela vitória de seu partido, que já mantém a maioria no Parlamento

estadão.com.br

23 de setembro de 2010 | 17h05

 

CARACAS - O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, prometeu nesta quinta-feira, 23, que seu partido vencerá "por nocaute" os opositores nas eleições legislativas do próximo domingo, segundo informações da agência de notícias AFP.

 

Veja também:

especialInfográfico: Raio X das eleições na Venezuela

 

O PSUV (Partido Socialista Unido da Venezuela), do presidente Chávez, tentará manter a maioria no Parlamento conquistada nas eleições de 2005, mas a oposição, que boicotou o último pleito, desta vez pede aos eleitores que votem contra o governo chavista.

 

"Faz cinco anos que se retiraram na última hora. Se quiserem, que façam o mesmo, mas vamos dar uma sova nos esquálidos (termo que Chávez usa para designar os opositores) subordinados ao império ianque. Aqui estão os candidatos de Chávez. Os que querem a pátria, que venham com Chávez", disse o presidente em um dos últimos atos da campanha eleitoral, no Estado de Carabobo, no norte do país.

 

Chávez, que há quase 12 anos ocupa a presidência venezuelana, foi o principal nome do PSUV na campanha para as eleições parlamentares. O presidente provavelmente disputará um terceiro mandato em 2012.

 

No domingo, os venezuelano elegerão 165 deputados da Assembleia Nacional. Para Chávez, um triunfo nas eleições e a manutenção da maioria de seu partido no Parlamento seria crucial para seguir com a transição "para o socialismo" e para o aprofundamento de sua revolução bolivariana. "Sabemos onde queremos chegar e ninguém vai nos deter", disse.

 

De acordo com as últimas pesquisas, o PSUV tem cerca de 52% das intenções de voto, o que daria à situação dois terços do Parlamento, de acordo com o sistema de votos proporcionais em vigor. Outras pesquisas, porém, apontam que o partido chavista e a oposição teriam o mesmo índice de intenção de votos.

 

Unidos na Mesa da Unidade Democrática (MUD), os opositores pretendem conseguir boa representatividade nas eleições do domingo. "A partir do dia 26 de setembro, começa a contagem regressiva para a mudança no país", disse um candidato opositor, Richard Blanco.

Tudo o que sabemos sobre:
ChávezeleiçõesVenezuela

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.