Chávez diz ter ''detalhes'' de acordo de EUA e Bogotá

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, prometeu ontem levar à cúpula da União de Nações Sul-Americanas (Unasul) em Bariloche, Argentina, na sexta-feira, um relatório militar americano revelando "os detalhes" do acordo militar entre Washington e Bogotá, com o qual poderá desmontar "as mentiras" que o presidente colombiano, Álvaro Uribe, possa apresentar. "Toda a Colômbia está se convertendo em uma base. Os militares gringos estarão autorizados a operar em qualquer parte da Colômbia", disse. Chávez mostrou em seu programa dominical de rádio e televisão Alô Presidente a suposta cópia de um documento elaborado pela Força Aérea dos Estados Unidos contendo as características e objetivos das bases que os soldados americanos utilizarão na Colômbia, chamadas de "localidades expedicionárias". "Levarei isto à reunião de Bariloche para ouvir as mentiras que o governo da Colômbia vai dizer: que não são bases, que são localidades expedicionárias, igual no Iraque", afirmou Chávez. Os presidentes dos 12 países-membros da Unasul se reunirão em uma cúpula extraordinária para debater o polêmico acordo militar entre Bogotá e Washington fechado na semana passada, que permite aos EUA utilizar pelo menos sete bases colombianas. Chávez insiste em que um dos objetivos do uso dessas bases é "cercar" a Venezuela e, em última instância, controlar a faixa petrolífera do Orinoco, a maior reserva de hidrocarbonetos do mundo, e as reservas hídricas amazônicas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.