Chávez e Ahmadinejad anunciam fundo de US$ 2 bilhões

Os presidentes venezuelano, Hugo Chávez, e iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, anunciaram neste domingo em Caracas a criação de um fundo de US$ 2 bilhões para financiar projetos de desenvolvimento em seus países e em outras nações latino-americanas e africanas."Isto é só o começo do que faremos", disse Chávez no discurso transmitido pela televisão, no qual anunciou a visita de Ahmadinejad, que neste domingo viajará à Nicarágua e na segunda-feira vai para o Equador."Sejamos capazes de derrotar as ameaças imperialistas para construir um mundo novo, o que é um velho sonho", acrescentou o governante venezuelano, destacando que o montante do fundo será aumentado progressivamente para "amparar investimentos também em outros países, sobretudo aqueles cujos Governos estejam fazendo esforços para libertar-se do jugo imperialista" dos Estados Unidos."Este fundo pesado e estratégico, irmão, vai se transformar em um mecanismo de libertação", no marco da construção internacional de "uma rede de alianças", disse Chávez a Ahmadinejad.Viés revolucionárioJá Ahmadinejad disse que, além de servir para o crescimento bilateral, o fundo financiará projetos de desenvolvimento produtivo em países da América Latina e da África, contribuição à qual estão obrigados como países petroleiros, da mesma forma que tem o compromisso de "promover o pensamento revolucionário" para fazer frente "à direção incorreta dos países poderosos"."A raiz de todos os problemas do mundo está nesta direção incorreta do grande poder mundial", cujos representantes "em vez de promover o amor promovem o ódio e a inimizade, os conflitos e enfrentamentos", disse o líder iraniano sem citar nenhum país. "O ser humano sem amor ao próximo é menos que um animal (...); onde há pobreza, ódio, inimizade e guerra, discriminação e injustiça" há o empenho "do grande poder mundial de buscar seus próprios lucros para encher os bolsos das transnacionais, em uma direção que não avalia em nada a dignidade e os direitos da humanidade", sustentou o iraniano."Temos a responsabilidade de promover a cultura do amor à humanidade, de progresso e justiça, e nossos dois povos e Governos têm hoje grandes responsabilidades", acrescentou. Por sua parte, Chávez afirmou que nenhuma potência do "imperialismo" será capaz de deter o avanço de Venezuela e Irã e o de seus povos."Temos à frente a força imperialista; sabemos que não haverá descanso na batalha. Por isso, dentro desta espécie de xadrez mundial, sua visita a Caracas é muito importante", exclamou. O venezuelano também qualificou de "importante" a viagem de Ahmadinejad a dois dos países latino-americanos que elegeram recentemente líderes de esquerda, o nicaragüense Daniel Ortega e oequatoriano Rafael Correa.Chávez lembrou que nesse mesmo grupo se encontra o presidente da Bolívia, Evo Morales, que nos atos de posse de Ortega pediu a morte do "imperialismo americano". Nicarágua e Bolívia já receberam tratores construídos naVenezuela com tecnologia iraniana, revelou o governante venezuelanoao explicar o tipo de investimento que financiará o fundo.Além desta iniciativa global, os dois governantes assinaram onze convênios, memorandos de entendimento, cartas de intenções e outros documentos para afiançar suas relações industriais, educacionais, culturais e em turismo, tributários e petroleiros.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.