Ariana Cubillos, Rodrigo Abd/AP
Ariana Cubillos, Rodrigo Abd/AP

Chávez e Capriles pedem 'avalanche e furacão' de votos

Candidatos fazem os últimos discursos da campanha política, que termina nesta quinta-feira

AE, Agência Estado

04 de outubro de 2012 | 17h37

CARACAS - A capital Caracas e a cidade ocidental de Barquisimeto foram os cenários onde os candidatos Hugo Chávez e Henrique Capriles, fecharam as campanhas políticas antes das eleições de 7 de outubro.

Veja também:

tabela ESPECIAL: eleições na Venezuela

Chávez discursou debaixo de chuva na avenida Bolívar, no centro de Caracas. Ele pediu uma "avalanche de votos" no domingo, para derrotar o "candidato neoliberal". "As circunstâncias me obrigam a ser breve" disse o presidente bolivariano, em referência à chuva, de acordo com o jornal venezuelano El Universal.

"Nós fomos abençoados pela água benta no dia de São Francisco. Esse é um presságio do que acontecerá no domingo. Chávez vencerá no dia 7 de outubro", disse o presidente venezuelano, fazendo referência ao dia 4 de outubro, dia de São Francisco de Assis.

Já Capriles encerrou sua campanha visitando dois Estados, Cojedes e Lara. "O progresso significa produzir alimentos, que não ocorram mais expropriações, que o país tenha empregos e que o salário de cada trabalhador seja suficiente", disse Capriles na cidade de San Carlos, Estado de Cojedes, na manhã desta quinta-feira.

Ele fará discurso na noite desta quinta-feira em Barquisimeto, quinta maior cidade venezuelana e capital do Estado de Lara. Capriles evitou atacar Chávez diretamente, embora durante toda a campanha tenha sido provocado e até insultado pelo adversário. "Vamos converter essa força em um furacão de votos no dia 7", disse Capriles.

Chávez e Capriles passaram a última semana de campanha percorrendo a Venezuela e pedindo aos eleitores que compareçam às urnas no domingo. As últimas pesquisas publicadas na sexta-feira passada, como a da Datanálisis, indicavam que Chávez liderava as intenções de voto com 10 pontos porcentuais de vantagem, mas Capriles reduzia a diferença e 10% do eleitorado ainda estava indeciso. Outra pesquisa, a da Consultores 21, mostrou os dois em empate técnico, com 46% da intenção de voto em Capriles e 45% em Chávez.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.