Chávez e Kirchner reforçam laços com acordos e memorandos

Os presidentes da Venezuela, Hugo Chávez, e da Argentina, Néstor Kirchner, firmaram nesta quarta-feira 17 memorandos e acordos de cooperação em várias áreas e concordaram em lançar uma nova emissão conjunta de bônus da dívidas por US$ 1,5 milhão.Os acordos, classificados como "transcendentais" pelos dois presidentes, incluem o financiamento venezuelano da cooperativa láctea argentina Sancor e a venda de combustível venezuelano à Argentina.O pacto também inclui memorandos de acordo relacionados à tecnologia, agropecuária, transporte e construção de moradias.Chávez e Kirchner ratificaram suas intenções de aprofundar os laços políticos e econômicos, assim como a necessidade de consolidar a integração regional para que a América Latina possa "como um bloco negociar com outros blocos" do mundo."Hoje estamos firmando acordos muito importantes, vitais" afirmou Kirchner. Venezuela e Argentina lançaram uma primeira emissão em novembro passado por US$ 1 milhão.Os dois governos assinaram um "contrato de financiamento do banco estatal BANDES da Venezuela às cooperativas Sancor", por um montante que não foi oficialmente definido, mas estimulado pela imprensa como algo por volta de US$ 135 milhões.Fontes venezuelanas indicam que o governo Chávez financiará à Sancor em troca de uma participação na companhia, formada por 70 cooperativas das províncias de Santa Fe e Córdoba, que representam a 2 mil produtores, com dívida de US$ 167 milhões refinanciada a oito anos.Um contrato de combustível também foi assinado, para a empresa Energia Argentina S.A, a Enarsa, cujos detalhes não foram revelados."A idéia da construção do ´banco del sur´ não termina entre Argentina e Venezuela. Convidamos a todos os países para que se integrem (à iniciativa) dentro de suas possibilidades", concluiu o presidente argentino.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.