Chávez e Santos devem retomar hoje relações

Os presidentes da Colômbia, Juan Manuel Santos, e da Venezuela, Hugo Chávez, pretendem superar velhas desavenças entre os governos de seus países e restabelecer as relações diplomáticas durante o encontro que terão hoje.

AE-AP, Agência Estado

10 de agosto de 2010 | 16h24

Mas os resultados de longo prazo do encontro entre os dois líderes, que têm estilos diferentes, não são certos. O encontro estava previsto para acontecer a partir das 13 horas (15 horas, horário de Brasília) na colombiana Quinta de San Pedro Alejandrino, um casarão colonial onde Simón Bolívar foi hospedado por seus simpatizantes, em 1830, e onde morreu no final daquele ano.

O encontro de Santos, um economista educado nos Estados Unidos que hoje completa 59 anos, e Chávez, um ex-tenente-coronel do Exército de 56 anos, será a primeira reunião bilateral dos dois presidentes, que nos últimos meses trocaram farpas sobre a participação de Santos em ações contra as guerrilhas colombianas, dentro e fora do país. Santos foi ministro da Defesa entre 2006 e 2009.

A chanceler colombiana María Angela Holguín disse que a expectativa é a retomada das relações diplomáticas entre os dois países, interrompidas por Chávez no dia 22 de julho. O presidente venezuelano ficou irritado porque Bogotá reiterou suas denúncias de que a Venezuela protege em seu território os chefes das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) e do Exército de Libertação Nacional (ELN).

Após a eventual retomada das relações diplomáticas, Caracas e Bogotá devem designar embaixadores, passo necessário para a resolução de outras questões. Durante uma visita do presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, a Caracas, na sexta-feira passada, Chávez anunciou que seu chanceler Nicolás Maduro assistiria a posse de Santos no sábado, o que foi interpretado como um gesto amistoso em relação ao novo governo.

Assim que Santos declarou em seu discurso de posse que uma de suas prioridades era normalizar as relações diplomáticas com a Venezuela, Chávez anunciou que estava disposto a viajar em breve para a Colômbia para um encontro com o novo presidente e "superar a página" de seus frequentes choques verbais com o predecessor de Santos, Alvaro Uribe. A reunião entre Santos e Chávez foi anunciada no domingo após uma reunião em Bogotá entre Holguín e Maduro.

Tudo o que sabemos sobre:
crisediplomáticaColômbiaVenezuela

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.