Chávez esta se recuperando, diz ministro venezuelano

O ministro da Comunicação da Venezuela, Ernesto Villegas, disse que "em semanas" o presidente Hugo Chávez, que está hospitalizado em Cuba, fazendo tratamento contra um câncer na região pélvica, desde 11 de dezembro, deverá estar "se recuperando e retornando" a Caracas, repetindo o discurso já feito pelo vice-presidente Nicolás Maduro.

TÂNIA MONTEIRO, ENVIADA ESPECIAL, Agência Estado

27 de janeiro de 2013 | 20h37

Em entrevista a uma TV chilena, o ministro Villegas afirmou que mesmo se recuperando de uma nova cirurgia, Chávez "não deixou de exercer o poder" no país. Ernesto Villegas não explicou qual o verdadeiro estado de saúde de Chávez e, sem dar detalhes, afirmou que o presidente venezuelano "já superou" uma etapa do tratamento médico do pós-operatório realizado em Cuba e que "uma infecção respiratória que tinha surgido foi controlada".

Segundo o ministro, agora "persiste um certo grau de insuficiência respiratória que está sendo tratada". Em seguida, acrescentou, "vem uma fase do tratamento sistêmico que teve origem na operação e o presidente está cumprindo estritamente o tratamento".

Ernesto Villegas negou que o governo venezuelano esteja escondendo o estado de saúde de Chávez. Reconheceu que ele tem "uma lesão na zona pélvica", evitando usar a palavra câncer, preferindo chamá-la de "uma doença maligna" que, ressalvou, enfrentando com "fortaleza espiritual".

Segundo o ministro, frequentemente o povo venezuelano e do resto do mundo "está sendo informando da evolução clínica do comandante Chávez". O ministro prometeu que o governo "continuará dando noticias boas e más", mas ressalvou que, no momento, só tem notícias boas. "No momento, temos só noticias positivas".

O vice-presidente Nicolás Maduro pretendia repassar aos seus colegas da Cúpula da Comunidade de Estados Latino-americanos e do Caribe, durante a reunião reservada, notícias do estado de saúde de Chávez. Mas a reunião começou depois das 18h30 e a previsão de duração era de pelo menos duas horas.

Ao abrir a reunião da Celac, o presidente do Chile, Sebastian Pinera, fez questão de homenagear Hugo Chávez como um dos grandes idealizadores da cúpula, uma pessoa que teve "um impacto profundo na sua formação". Pinera desejou que Chávez "vença a batalha madura da sua vida", elogiou sua "força e coragem".

"Quero aproveitar para fazer um reconhecimento a um presidente que não está conosco hoje, mas que sua visão, tenacidade e fortaleza teve um impacto profundo na criação desta comunidade. Me refiro o líder venezuelano Hugo Chávez", disse, aplaudido por todos.

O ministro da Comunicação da Venezuela, Ernesto Villega, informou ainda que o presidente Hugo Chávez encaminhou aos 33 presidentes dos países da comunidade latino-americana e do Caribe, que estão reunidos em Santiago, uma carta assinada de próprio punho defendendo o projeto de integração política dos povos e que isso significa que "o sonho de Bolívar está se tornando realidade".

A assinatura na carta, justificou o ministro na entrevista, mostra que Chávez está ali "retratado" e que ele "é o mesmo Chávez de sempre, que está vivo e batalhando por sua saúde ao mesmo tempo em que batalhando pela construção de um mundo melhor e mais igualitário". Depois da reunião de abertura da Celac, os presidentes se dirigiram para uma sessão reservada, onde a carta de Chávez deverá ser lida.

Mais conteúdo sobre:
Hugo Chávezsaúderecuperação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.