Chávez estaria com metástase óssea, diz jornal

Segundo Wall Street Journal, serviço secreto europeu acredita que líder venezuelano teria poucos meses de vida

CARACAS, O Estado de S.Paulo

06 de janeiro de 2012 | 03h02

Documentos de serviços de inteligência obtidos pelo jornal Wall Street Journal indicam que o câncer do presidente da Venezuela, Hugo Chávez, teria se espalhado para os ossos e seria mais agressivo do que o admitido oficialmente.

Com base nos relatos de pessoas próximas da equipe médica do líder bolivariano, as agências já trabalham com a hipótese de ele não estar saudável o suficiente para disputar as eleições de outubro.

No fim de semana, em evento no qual lançou oficialmente sua campanha pela reeleição, Chávez mais uma vez desmentiu os rumores sobre sua saúde. Um relatório de uma agência de inteligência europeia, ao qual o Wall Street Journal teve acesso, diz que exames médicos mostram um crescimento claro e significativo de células cancerígenas na medula óssea do paciente.

Também de acordo com o relatório, as supostas complicações seriam causadas por dois tumores, um próstata e outro no cólon, negligenciados por muito tempo.

Um membro do governo americano disse ao Wall Street Journal ter tido acesso a informações que garantem que o presidente venezuelano teria até seis meses de vida.

No entanto, segundo outro funcionário do governo americano, a Casa Branca está completamente no escuro a respeito do tema. Chávez passou por uma cirurgia em Cuba, em junho, para remover um tumor pélvico. Após três sessões de quimioterapia, porém, ele se disse curado. / REUTERS e AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.