Chávez estatiza outra empresa do setor alimentício

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, decretou ontem a expropriação de uma das maiores empresas do setor alimentício de seu país, a Monaca, filial da mexicana Gruma. Segundo Chávez, as instalações da empresa serão usadas para a formação de uma unidade socialista de processamento agroindustrial.

AE, Agência Estado

14 Maio 2010 | 08h43

A Monaca atua na produção, processamento e armazenagem de farinha de trigo e milho, arroz, óleo, massas, aveia e temperos. Em abril, Chávez decretou a expropriação de três depósitos da empresa Polar, a maior processadora de alimentos do país, e de três usinas de açúcar. As medidas têm como objetivo aumentar o controle do governo sobre a cadeia alimentícia e resolver problemas como a escassez de produtos básicos e o descontrole da inflação.

O governo diz que o aumento de preços ocorre em razão da especulação de empresários que só pensam em lucros. Para especialistas e empresários, porém, as expropriações e as ameaças de Chávez contra o setor privado são um desestímulo aos investimentos - o que acaba provocando escassez e alta de preços. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Mais conteúdo sobre:
Venezuela Chávez estatização

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.