Chávez exige desculpas de cardeal venezuelano

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, exigiu um pedido de desculpas e explicações do cardeal Rosalío Castillo Lara, que afirmou que o país "perdeu o rumo democrático" e "apresenta faces de uma ditadura". "Um governo eleito democraticamente há sete anos perdeu o seu rumo democrático e apresenta faces de uma ditadura, em que todos os poderes estão praticamente nas mãos de uma única pessoa, em uma situação de extrema gravidade", disse o eclesiástico na missa que encerrou a procissão da Divina Pastora, uma homenagem à Virgem Maria.Diante de milhares de venezuelanos, já que o ato da Divina Pastora é muito importante no país, o cardeal concluiu a homilia na catedral de Barquisimeto pedindo à pastora para "salvar a Venezuela". Em resposta, no seu programa de televisão semanal, transmitido no domingo, Hugo Chávez expressou a sua irritação afirmando que o episódio foi "vergonhoso para a Igreja Católica". "O caso é um exemplo da manipulação de um ser humano na hierarquia na Igreja Católica e utilizando a imagem da Divina Pastora", criticou o líder.Chávez também disse ter ligado para o núncio apostólico do Vaticano em Caracas para reclamar, mas não teria ficado satisfeito com a explicação dada por ele. "Não basta uma explicação privada. O país exige uma explicação da Igreja Católica." O presidente venezuelano afirmou também que a Igreja deveria se ater ao trabalho espiritual e deixar a política de lado.Essa não é a primeira vez que Chávez e a Igreja Católica entram em rota de colisão sobre as reformas sociais e econômicas no país. Na semana passada, líderes católicos acusaram o governo Chávez de não combater a pobreza, apesar de ter gastado bilhões de dólares da renda petrolífera do país.No programa de sábado, Chávez fez um convite à Igreja. "Que bom seria se os padres viessem trabalhar conosco. Trabalhemos juntos, não importa que nos critiquemos, mas somos irmãos", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.