Chávez extradita três guerrilheiros das Farc e do ELN para a Colômbia

Expulsão reforça bom momento das relações bilaterais, impulsionadas pela posse de Santos

estadão.com.br,

17 de novembro de 2010 | 20h26

  Policiais escoltam Priscila Ayala em base aérea de Bogotá. Foto: Maurício Dueñas/Efe

BOGOTÁ - O governo da Venezuela extraditou três guerrilheiros para a Colômbia nesta quarta-feira, 17. Segundo o ministério do Interior, eles são acusados de sequestro e resistência à prisão e cometeram 'crimes graves' no país vizinho.

"Atuando estritamente conforme a Constituição, o governo do presidente Hugo Chávez decidiu expulsar Oswaldo Espinoza, Nelson Navarro e Priscila Ayala, além de processar outros quatro colombianos que não foram solicitados pela justiça colombiana", diz a nota. 

Segundo o ministério da Defesa colombiano Espinoza pertence às  Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), e os outros dois ao Exército de Libertação Nacional (ELN).

Os três extraditados foram levados por oficiais venezuelanos até a cidade de Cúcuta, na fronteira entre os dois países, e de lá serão transladados à Divisão Antinarcóticos da Polícia, em Bogotá.

A extradição reforça o bom momento das relações entre Colômbia e Venezuela, após a posse do presidente Juan Manuel Santos, em agosto.

Os dois países retomaram as relações diplomáticas, rompidas em julho após o então presidente Alvaro Uribe acusar Chávez de abrigar guerrilheiros das Farc na Venezuela.

Na semana passada, Santos declarou que Chávez é 'seu novo melhor amigo'. Em troca da extradição dos guerrilheiros, a Colômbia deve enviar para Caracas o traficante venezuelano de origem síria Walid Makled.

 

Com Efe e Reuters

 

Atualizada às 21h41

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.