Chávez incita israelenses a desobedecer governo do país

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, pediu ao povo israelense que não apoie seu governo, que ele taxou como "genocida" hoje, no segundo dia de sua visita à Síria. Chávez está em meio a uma viagem de 11 dias pela Líbia, Argélia, Síria, Irã, Bielo-Rússia e Espanha, em uma tentativa de construir um mundo multipolar e diminuir a influência dos Estados Unidos na região. O presidente venezuelano tem criticado Israel durante sua visita à Síria, acusando o país de destratar os palestinos e de ser um agente do imperialismo norte-americano. "O Estado de Israel tornou-se um criado homicida a serviço do imperialismo", disse Chávez. "É um governo genocida. Eu condeno este governo sionista que persegue o heroico povo palestino".

AE-AP, Agencia Estado

04 Setembro 2009 | 17h44

Chávez, cujas declarações foram transmitidas pela televisão estatal venezuelana, acrescentou que "o povo de Israel não deveria aprovar um governo genocida". Chávez falou para cerca de 10 mil pessoas que se reuniram num estádio de futebol na cidade de Sweida, cerca de 100 quilômetros ao sul de Damasco, perto da fronteira com a Jordânia. Mais de 200 mil pessoas da área de Sweida têm cidadania venezuelana e a maioria é da seita drusa, que emigrou para a Venezuela no último século.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.