Chávez ordena demissões em massa na PDVSA

O governo Hugo Chávez deu ordens para novas demissões de grevistas na empresa estatal Petróleos de Venezuela S.A. (PDVSA), enquanto cresce a preocupação em relação aos graves problemas econômicos decorrentes da longa greve da oposição, que hoje completa 40 dias. Mais de 45 mil bancários de todo o país fizeram, pelo segundo dia consecutivo, uma paralisação total das atividades, como parte da estratégia da oposição para obrigar à renúncia de Chávez.O fechamento dos bancos aumentou os problemas do governo, que afirma ter perdido, até agora, US$ 1,5 bilhão devido à greve na PDVSA. O presidente da estatal, Alí Rodríguez, demitiu 241 gerentes e funcionários do escalão médio da empresa, que se mantêm em greve desde o início de dezembro. A medida elevou para 600 o número de demissões na companhia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.