Chávez passa por cirurgia de emergência em Cuba

Durante visita do venezuelano a Havana, exames identificaram 'acúmulo de pus' na região pélvica

Claudia Jardim, BBC

11 de junho de 2011 | 00h12

CARACAS - O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, teve de ser submetido a uma cirurgia de emergência nesta sexta-feira, durante sua visita a Cuba, em consequência de problemas na zona pélvica.

Chávez viajou a Havana depois de visitar Brasil e Equador. Na ilha, foi submetido a uma série de exames que constataram a presença de um abscesso pélvico (acúmulo de pus causado por infecção bacteriana), o que levou o presidente a "submeter-se de maneira imediata a um procedimento cirúrgico corretivo", informou o chanceler venezuelano, Nicolás Maduro, que acompanha o presidente venezuelano.

Maduro afirmou que o resultado da cirurgia foi "satisfatório". Chávez, no entanto, terá de se recuperar na ilha antes de voltar a Caracas.

A equipe de médicos venezuelanos e cubanos "estima que em breves dias Chávez estará em condições de regressar de maneira segura à Venezuela", informou o chanceler venezuelano, em comunicado transmitido pela televisão estatal.

Esse é o segundo problema de saúde que Chávez enfrenta nas últimas semanas. Há um mês, ele teve de adiar seu primeiro encontro oficial com a presidente Dilma Rousseff, em consequência de uma lesão no joelho.

Antes da cirurgia de emergência, Chávez se reuniu com seu principal aliado na região, o líder cubano Fidel Castro, e com o presidente de Cuba, Raúl Castro, para avaliar os projetos de cooperação bilateral nas áreas de energia, agricultura e telecomunicações.

A Venezuela - principal parceiro comercial da ilha - envia diariamente a Cuba 100 mil barris de petróleo. Em contrapartida, recebe ajuda profissional de mais de 40 mil cubanos, dos quais 30 mil são médicos.

 

BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.