Chávez pede a venezuelanos menor consumo de energia

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, pediu à população que reduza em 20% o consumo de energia elétrica. Uma forte seca atinge várias regiões da nação rica em petróleo, prejudicando a geração de energia. "Há partes do país onde não choveu este ano", disse Chávez, ontem, durante reunião de seu gabinete transmitida ela televisão. Chávez também afirmou que será criado o Ministério da Energia Elétrica para cuidar do assunto.

AE, Agencia Estado

22 de outubro de 2009 | 17h23

Segundo Chávez, uma comissão será formada para colocar em prática os planos de redução de consumo, dentre elas a distribuição de lâmpadas mais econômicas. O presidente disse também que a seca causou problemas no abastecimento de água e pediu aos venezuelanos que façam economia. De acordo com Chávez, o fenômeno El Niño mudou o padrão climático e é responsável pela falta de chuvas, o que reduziu a capacidade das usinas hidrelétricas.

Ele pediu aos moradores do país que desliguem seus aparelhos de ar-condicionado durante a noite e disse que ele fará sua parte ao cortar o consumo de eletricidade em 50% no palácio presidencial de Miraflores, em Caracas. Durante a reunião, o presidente ordenou que as luzes da sala fossem diminuídas. Outras versões, veiculadas pela mídia internacional, citam Chávez pedindo aos venezuelanos que economizem água parando de cantar no chuveiro e tomando banhos de três minutos.

Os problemas da Venezuela com eletricidade provocaram blecautes em algumas regiões e forçou outras a racionar o consumo. Isso levantou outro obstáculo para a indústria manufatureira, que já luta para manter os níveis de produção em meio a outros desafios, como a falta de acesso à moedas estrangeiras. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.