Chávez pode cortar fornecimento de petróleo aos EUA

Se os Estados Unidos decidirem romper as relações com a Venezuela, todo o petróleo que atualmente é exportado para esse país, seria vendido a outros, advertiu hoje o presidente venezuelano, Hugo Chávez."Se querem romper relações com a Venezuela, cabe a eles decidir. Não me custaria nada fechar nossas refinarias nos EUA nem vender o petróleo que vai para os EUA a outros países do mundo", disse Chávez em uma alocução perante dezenas de milhares de seguidores que participaram de uma manifestação de apoio ao Governo."A cada momento vêm nos pedir mais petróleo. Há países como China, Índia, países da Europa e América que comprariam esse petróleo", acrescentou o presidente.Chávez lembrou que a Venezuela envia aos EUA 1,5 milhão de barris por dia e destacou que nunca faltou com esse compromisso.No entanto, disse que seu Governo não deseja chegar a situações tão extremas e insistiu que se isso ocorrer será por iniciativa de Washington, não de Caracas."Não queremos chegar a esses extremos. Que decidam eles. O que queremos é que nos deixem em paz, que esse Governo imperialista termine de aceitar que a Venezuela se libertou e não é nem será uma colônia dos EUA", argumentou Chávez.O presidente venezuelano afirmou ainda que se a ruptura de relações realmente ocorresse seria preciso ver "a quanto chega o preço do petróleo".As declarações do governante venezuelano se enquadram em uma série de choques verbais entre dirigentes de ambos Governos nos últimos dias, por ocasião da expulsão do adido naval da embaixada dos EUA em Caracas e a de um funcionário da embaixada venezuelana em Washington.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.