Chávez pode ser julgado na Espanha

Um grupo de advogados pediu hoje que o presidente venezuelano, Hugo Chávez, compareça diante da Audiência Nacional da Espanha por supostos vínculos com o grupo separatista basco ETA e crimes contra a humanidade, cometidos nos distúrbios do dia 11 de abril, em que morreram 19 pessoas e 300 ficaram feridas a bala.O advogado Alfredo Romero declarou que um grupo de defensores privados, representando 6 espanhóis e 24 venezuelanos, entraram com pedido de julgamento para Chávez e seus colaboradores por supostos delitos contra a humanidade, violação dos direitos humanos, terrorismo de Estado e ligações com membros do grupo ETA.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.