Chávez qualifica explosão na Colômbia como 'terrorismo'

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, denunciou a explosão de carro-bomba ocorrida hoje em Bogotá e pediu uma rápida investigação do incidente, qualificado por ele como "ato terrorista", segundo nota divulgada pela chancelaria.

RICARDO GOZZI, Agência Estado

12 de agosto de 2010 | 15h53

A explosão ocorreu nas proximidades da sede da Rádio Caracol, uma das maiores da Colômbia. A detonação deixou nove pessoas levemente feridas. Autoridades colombianas não identificaram suspeitos de envolvimento no ataque.

"O povo e o governo da Venezuela repudiam nos mais duros termos este ato terrorista direcionado à nação irmã da Colômbia", diz a nota, emitida pelo Ministério das Relações Exteriores da Venezuela. Chávez e o novo presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, restabeleceram nesta semana as relações diplomáticas depois de quase três semanas de rompimento.

O rompimento ocorreu depois de Alvaro Uribe, antecessor de Santos, ter apresentado perante a Organização dos Estados Americanos (OEA) o que qualificou como provas de que Caracas estaria tolerando a presença de cerca de 1.500 supostos guerrilheiros em acampamentos ao longo da fronteira. Em resposta, Chávez rompeu relações com o governo do país vizinho. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.