Chávez se aproxima do Oriente

As últimas viagens e negociações do presidente venezuelano, Hugo Chávez, vem despertando as atenções para sua atuação no sentido de aproximar politicamente a Venezuela dos países do oriente, como Irã, Rússia e China. Nesta terça-feira Chávez inicia sua quarta viagem pela China, a fim de firmar acordos em vária áreas comerciais. O jornal americano The New York Times chama atenção para os laços entre a Venezuela e os países do Oriente Médio, fortalecidos por visitas recentes do presidente venezuelano Hugo Chávez à região.A aproximação recente "transformou o Irã no aliado mais próximo da Venezuela fora da América Latina", diz o NYT. O governo de Chávez mandou ainda na semana passada um representante para a Síria, na tentativa de se aproximar de Damasco.A matéria lembra que a proximidade com os países árabes não é nova, já que há décadas a Venezuela faz parte da Opep, a Organização dos Países Exportadores de Petróleo. Mas, em um momento em que o país disputa uma cadeira rotativa no Conselho de Segurança da ONU, as relações têm aumentado as tensões entre Caracas e Washington e seus aliados, como Israel. Durante a guerra no Líbano, o presidente venezuelano chegou a dizer que os ataques israelenses constituíam um "novo Holocausto" e ordenou a volta de seu embaixador no país.No início de agosto, Chávez, em visita a Rússia, comprou grande quantidade de armas, ainda que os EUA tentassem impedir a negociação.Próximas viagensNesta terça-feira, Chávez irá visitar a China a fim de ampliar os acordos petroleiros, em reunião com o presidente chinês, Hu Jintao, e com o primeiro-ministro, Wen Jiabao.Chávez também deve se encontrar com Wu Bangguo, presidente da Assembléia Nacional Popular (ANP, órgão máximo legislativo), e com o vice-presidente Zeng Peiyan. "As duas partes irão trocar opiniões sobre as relações bilaterais e problemas regionais aos quais ambos os países prestam muita atenção", segundo comunicado do ministério de relações exteriores chinês. Durante a visita o presidente deve assinar "vários acordos de cooperação sobre educação, informação e outros setores" não especificados.O petróleo será o principal assunto da viagem de Chávez. A Venezuela, atualmente quinto maior produtor de petróleo, vende 150 mil barris de petróleo cru, gás e outros derivados para a China, através da estatal Venezuela SA. Com a visita Chaves espera aumentar a quantia para mais de 200 mil barris por dia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.