Chávez suspende racionamento de energia em Caracas

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, suspendeu o racionamento de energia em Caracas na noite desta quarta-feira, um dia depois de o plano ter sido lançado em meio a críticas generalizadas e muita confusão. "Vinte e quatro horas depois de ter ativado o plano de racionamento de eletricidade, detectamos efeitos indesejados em Caracas", disse Chávez, durante uma entrevista por telefone à TV estatal. "Então eu ordenei a suspensão."

AE-DOW JONES, Agencia Estado

14 de janeiro de 2010 | 04h30

Entre os problemas, ele mencionou que os funcionários do setor elétrico estavam cortando a energia de locais onde não deveriam fazê-lo e perigosos congestionamentos de trânsito causados por semáforos apagados.

O presidente disse também que demitiu o Ministro da Eletricidade, Angel Rodriguez, que havia sido nomeado há dois meses para o cargo recém-criado, a fim de lidar com os crescentes problemas do setor.

O governo havia afirmado que os cortes eram necessários porque a rede de distribuição ficou sobrecarregada com a elevação da demanda e a prolongada seca que deixou os níveis de água em níveis criticamente baixos em Guri, a principal usina hidrelétrica do país, responsável pelo fornecimento de 73% da energia da Venezuela. Apesar da suspensão dos apagões em Caracas, Chávez disse que o racionamento será mantido nas outras regiões do país. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Venezuelaracionamentosuspensão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.