Chávez vai expropriar fabricante de garrafas dos EUA

Presidente alega que empresa 'leva o dinheiro venezuelano e explora a população'

Agência Estado e Associated Press

26 de outubro de 2010 | 02h47

CARACAS - O presidente venezuelano Hugo Chávez anunciou na segunda-feira, 25, em rede pela TV, que expropriará a fábrica de recipientes de vidro americana Owens-Illinois Inc, em atividade na Venezuela. Chávez criticou as práticas da empresa no país. "Ela está levando o dinheiro venezuelano e explorando a população", frisou o líder, sem dar mais detalhes de como a expropriação se dará.

 

Segundo as agências de notícias, a sede da empresa, na cidade de Perrysburg, no Estado de Ohio, ainda não se manifestou sobre esta decisão. A Owens-Illinois também tem operações em outros países na América Latina, no Brasil, Colômbia, Peru, Equador e no Caribe, voltadas para a produção de vasilhames de vidro. No mundo todo, ela está presente em 21 países e emprega cerca de 22 mil trabalhadores. Até o momento, o presidente venezuelano não deixou claro como será feita a compensação financeira à companhia americana.

 

Chávez já expropriou e nacionalizou várias companhias, incluindo fabricantes de cimento, de aços e do setor de alimentação. A medida visa, segundo Chávez, instaurar um sistema socialista no país. O presidente venezuelano disse que estão previstas mais expropriações, que serão anunciadas em momento oportuno.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.