Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Chávez visitará países latinos excluídos da agenda de Bush

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, anunciou que visitará Argentina e Bolívia nos mesmos dias em que o presidente americano, George W. Bush, estará no Brasil, no Uruguai e na Colômbia. Chávez descartou que com isso esteja "conspirando" contra o líder americano. O líder venezuelano confirmou a viagem durante o seu programa diário "Alô, presidente"."Descarto totalmente que Chávez e (Néstor) Kirchner, presidente da Argentina, tenham conspirado para sabotar essa visita. O que querem? Que a gente se vá da América do Sul. Vou pra onde? Para a lua? Essa é nossa casa", disse.O giro de Bush pela América Latina inclui ainda México e Guatemala. Os dois países que Chávez escolheu para visitar ficaram de fora da agenda do presidente americano pela região."É pura coincidência que ´mister´ Bush chegue a Brasília quase ao mesmo tempo em que eu chego a Buenos Aires, e que estará em Montevidéu, quando continuarei na capital argentina. E que chegará à Colômbia, quando estarei na Bolívia", declarou.De acordo com o analista argentino Joaquín Morales Solá, do jornal La Nación, de Buenos Aires, Chávez e Kirchner devem realizar um comício na semana que vem "para protestar contra Bush quando ele estiver no Uruguai".Os dois presidentes assinaram, na semana passada, uma série de acordos bilaterais e o governo venezuelano também anunciou ajuda à Bolívia, que vem sendo castigada há vários dias por grandes enchentes.Por questões de segurança, como afirmou o presidente venezuelano, não foi divulgada a data exata do seu desembarque na Argentina e na Bolívia.Coincidências Chávez disse confiar que os presidentes Lula, Tabaré Vázquez (Uruguai) e Álvaro Uribe (Colômbia) entenderão as "coincidências" das duas viagens e farão "ouvidos surdos" aos boatos que sugerem que o líder venezuelano pretende "prejudicar" o giro de Bush pela região. O presidente da Venezuela acusou a CIA (agência americana de inteligência) de espalhar o rumor de que sua intenção seria boicotar a visita do presidente americano. "Tomara que tenha sucesso, mas eu duvido", reiterou.Dias antes, Chávez já havia afirmado que a viagem do presidente americano será "um fracasso". O presidente venezuelano reiterou suas críticas a Bush e disse que o presidente americano é "o maior genocida da história" e líder de um governo que quer "dividir a América do Sul".Chávez pediu que os latino-americanos em geral realizem caminhadas contra a presença de Bush na região. O presidente venezuelano afirmou que cada governo sabe o que fazer, mas que a visita de Bush não merece seus aplausos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.