'Chavismo conseguiu uma unidade surpreendente'

Para teórico, efetividade da campanha de Maduro é resultado do esforço para unir os diferentes grupos da revolução bolivariana

Entrevista com

O Estado de S.Paulo

13 de abril de 2013 | 02h00

Heinz Dieterich, sociólogo alemão, é o autor do livro Socialismo do Século 21, que inspirou Hugo Chávez a lançar sua doutrina que prega a aplicação mais pragmática, em termos econômicos e políticos, do processo revolucionário.

Por que Chávez escolheu Maduro como seu sucessor?

Porque sabia que era o mais confiável para derrotar a oposição. A ampla preferência eleitoral por Maduro e o previsível resultado da campanha eleitoral mostram que a decisão foi correta.

Em caso de vitória de Maduro, o próprio chavismo fala na necessidade de uma margem ampla para que não haja problemas. O sr. também pensa assim?

A todo partido político é conveniente ganhar com margem ampla, mas no caso da Venezuela é necessário. Todas as pesquisas dão uma vantagem entre 10 e 20 pontos para Maduro. Como se não bastasse, o diretor da Inteligência dos EUA, general James Clapper, disse na quinta-feira que "com uma cômoda vantagem nas pesquisas, é esperada a vitória de Maduro e provavelmente se seguirá a tradição" do predecessor, Hugo Chávez.

O sr. disse em entrevista anterior que a preocupação dos chavistas era manter o poder na eleição, mas depois seria outra história. O que pode ocorrer em relação às disputas internas?

Os diferentes grupos do chavismo e do partido conseguiram uma unidade que se mostra na surpreendente efetividade da campanha. Maduro conseguiu, até mesmo, combinar a reverência ao "comandante" com a evolução para um perfil próprio de presidente. Essa aliança foi forjada sob a sombra da ameaça da oposição, de Miami e de Washington, e se manterá estável para um futuro previsível. As Forças Armadas também estão contentes com a unidade e a apoiam sem rancores.

O país teria estabilidade na hipótese de uma vitória de Capriles?Não existe hipótese racional alguma que permita prever um triunfo de Capriles. Ele sabe que perderá as eleições. Por isso não queria ser candidato. Mas a extrema direita de seus apoiadores, essencialmente os setores anticubanos e o complexo industrial-militar americano, o obrigaram a disputar. Com a derrota certa, o plano da direita que Capriles representa consiste em repetir o modelo da "revolução laranja" que se implementou na Ucrânia em 2004 contra Viktor Yushchenko.

Quais são os pontos mais relevantes do legado de Chávez, positivos e negativos?

A existência de um proto-Estado latino-americano com Mercosul, Alca, Celac etc., a construção de uma sólida institucionalidade interna e o convencimento de grande parte das classes médias venezuelanas de prosseguir o desenvolvimento do país por via pacífica são pontos positivos. Também se pode mencionar a elevação muito significativa da qualidade de vida material e cultural da população e a enorme contribuição para a pacificação da Colômbia. Entre os pontos negativos, que o próximo governo terá de resolver, estão os altos índices de criminalidade, a necessidade de mudanças que tornem a economia mais eficiente pelo fim das estruturas monopolistas e cartéis, e a urgência em estabelecer uma taxa real de câmbio para as moedas estrangeiras. / F.C.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.