AP Photo/Alejandro Cegarra
AP Photo/Alejandro Cegarra

Chavistas impedem entrada de deputados e jornalistas na Assembleia Nacional

Bloqueio ocorre um dia depois de centenas de milhares de pessoas terem saído às ruas do país para pedir a saída do presidente Nicolás Maduro

O Estado de S.Paulo

27 de outubro de 2016 | 15h49

CARACAS - Dezenas de simpatizantes do chavismo impediram nesta quinta-feira, 27, a entrada de deputados da oposição e jornalistas na Assembleia Nacional. Eles tentaram invadir o prédio, mas foram impedidos pela Guarda Nacional Bolivariana. Alguns deles continuam nos arredores do prédio para impedir a entrada dos parlamentares. 

O bloqueio ocorre um dia depois de centenas de milhares de pessoas terem saído às ruas do país para pedir a saída do presidente Nicolás Maduro, após a Justiça Eleitoral ter suspendido o referendo revogatório de seu mandato. 

Ainda na quarta-feira, a coalizão opositora Mesa de Unidade Democrática (MUD), convocou uma paralisação geral para amanhã e prometeu uma marcha até o Palácio de Miraflores, a sede do Executivo, para pedir a saída de Maduro no próximo dia 3. 

Na terça-feira, a AN pediu que Maduro fosse ao Parlamento para responder às acusações de ruptura da ordem constitucional. 

Reação. Ainda na madrugada desta quinta, Maduro pediu naos trabalhadores e empresários do país que não atendam à convocação da greve geral de 12 horas feita pela oposição. "Convoco ao trabalho, e com o trabalho derrotaremos aqueles que querem prejudicar a nossa pátria, aqueles que querem violência, aqueles que querem levar a pátria a uma desestabilização", disse o presidente.

Hoje, ele anunciou um novo aumento de 40% no salário mínimo como  maneira de combater a inflação, que, segundo o FMI, chegará esse ano a 720%. /EFE

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.